Como a falta de nutrientes pode impactar a prática de atividades físicas.

Como a falta de nutrientes pode impactar a prática de atividades físicas.

Saúde e Bem-Estar

Tempo de Leitura: 7s

Os benefícios que uma rotina de atividades físicas pode trazer já estão mais do que comprovados. Melhor respiração, fortalecimento muscular, manutenção de níveis saudáveis de pressão, colesterol, glicemia, além de impactos positivos para a mente (como redução do estresse) são apenas alguns que podem ser mencionados. Porém, se o corpo não estiver preparado para se movimentar mais, o efeito contrário pode acontecer, e sintomas como lesões e fadiga podem aparecer 1,2,3.

Avaliação médica, orientação sobre calçados adequados, busca por um profissional para orientar sobre a rotina de exercícios... todos esses cuidados devem ser considerados antes de começar a atividade física. E outro cuidado que deve ter uma atenção especial é a alimentação! Ofertar ao corpo todos os nutrientes necessários para o corpo se manter saudável é fundamental.

Mas será que a alimentação atual oferece todos os nutrientes necessários? Pesquisa feita no Brasil todo mostrou altas prevalências de consumo deficiente de vitaminas e minerais em adultos 4:

- Vitamina D: 99% dos adultos têm consumo inadequado

- Cálcio: 91% dos adultos têm consumo inadequado

- Vitamina B1: 59,8% dos adultos têm consumo inadequado

- Vitamina C:  47,5% dos adultos têm consumo inadequado.

E no que isso pode impactar no corpo de quem está praticando atividades físicas? Veja a seguir:

- Falta de vitamina D: Além de poder causar osteoporose (quadro caracterizado pela redução na mineralização do osso, tornando-o mais “fraco” e suscetível a fraturas), a falta de vitamina D no corpo pode causar fraqueza, fadiga e dor muscular 5.

- Falta de cálcio: Principal mineral quando o assunto é saúde óssea, não consumir quantidades adequadas de cálcio pode levar a câimbras, espasmos musculares (quando 

o músculo se contrai involuntariamente), além do risco de fraturas, decorrente do quadro de osteoporose 6.

- Falta de vitamina B1: Como a vitamina B1 (ou tiamina) é uma das responsáveis por ajudar a fornecer energia para todo o corpo funcionar, a deficiência dela pode representar menos disposição para o exercício físico 7.

- Falta de vitamina C: Durante o exercício o corpo produz radicais livres, que podem provocar danos musculares. Como a vitamina C é um dos principais combatentes dos radicais livres, sua deficiência pode gerar prejuízos aos músculos 8.

E foi pensando em contribuir para que não faltem as vitaminas e minerais necessários para encarar atividades físicas e a rotina do dia a dia que Centroactive foi formulado. Com 8g de proteína por porção, Centroactive é fonte de vitamina D, cálcio, B1 e vitaminas, entre tantos outros nutrientes essenciais.

CENTROACTIVE. Alimento isento de registro conforme RDC27/10. CONTÉM GLUTÉN. Novembro/2020

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

 

  1. Knuth AG, Bielemann RM, da Silva DG, Borges TT, Del Duca GF, Kremer MM, Hallal PC, Rombaldi AJ, Azevedo MR. Conhecimento de adultos sobre o papel da atividade física na prevenção e tratamento de diabetes e hipertensão: estudo de base populacional no Sul do Brasil. Cad. Saúde Pública. 2009; 25(3): 513-520.
  2. Nunomura M, Teixeira LAC, Caruso MRF. Nível de estresse, qualidade de vida e atividade física: uma comparação entre praticantes regulares e ingressantes sedentários. Revista Brasileira Atividade Física & Saúde. 1999; 4(3): 1726.
  3. Rossi L, Tirapegui L. Aspectos atuais sobre exercício físico, fadiga e nutrição. Rev. paul. Educ. Fís.. 1999; 13(1): 67-82.
  4. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa de orçamentos familiares 2017-2018: análise do consumo alimentar pessoal no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE; 2020.

Peters BSE, Martini LA. Vitamina D. In: ILSI Brasil – International Life Sciences Institute do Brasil. Funções plenamente reconhecidas de nutrientes. São Paulo: 

  1. ILSI-Brasil, 2014. v. 2, 23 p. (Série de Publicações ILSI Brasil). Disponível em: http://yhg3lf83h822dywx31eew1o7-wpengine.netdna-ssl.com/brasil/wp-content/uploads/sites/9/2016/05/artigo_vitamina_d.pdf. Acesso em Outubro, 2020.
  2. França NAG, Martini LA. Cálcio. In: ILSI Brasil – International Life Sciences Institute do Brasil. Funções plenamente reconhecidas de nutrientes. São Paulo: ILSI-Brasil, 2014. v.1, 23 p. (Série de Publicações ILSI Brasil). 21 p. Disponível em: http://yhg3lf83h822dywx31eew1o7-wpengine.netdna-ssl.com/brasil/wp-content/uploads/sites/9/2016/05/Fasci%CC%81culo-1-Seg-Edic%CC%A7a%CC%83o-Ca%CC%81lcio.pdf. Acesso em Outubro, 2020.
  3. Vannucchi H, Cunha SFC. Vitaminas do Complexo B: Tiamina, Riboflavina, Niacina, Piridoxina, Biotina e Ácido Pantotênico.  In: ILSI Brasil – International Life Sciences Institute do Brasil. Funções plenamente reconhecidas de nutrientes. São Paulo: ILSI-Brasil, 2009. v. 9, 34 p. (Série de Publicações ILSI Brasil) Disponível em http://yhg3lf83h822dywx31eew1o7-wpengine.netdna-ssl.com/brasil/wp-content/uploads/sites/9/2016/05/09-Complexo-B.pdf. Acesso em Outubro, 2020.
  4. Quadros L, Barros RLS. Vitamina C e performance: uma revisão. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. 2016; 10(55): 112-119.
  5. Rotulagem do produto Centroactive.

Como a falta de nutrientes pode impactar a prática de atividades físicas.


Quem viu este também viu: